11/07/2018

Homenagem aos Pioneiros: Prof. Irineu Antunes (CRM-PR 333)

Família de um dos pioneiros do Conselho de Medicina do Paraná e da Sociedade de Pediatria está na quarta geração de médicos.

O Professor Irineu Antunes (CRM-PR 333) integrou o primeiro corpo de conselheiros efetivos do Conselho do Paraná, eleito para a gestão de cinco anos a partir de 30 de maio de 1959. Depois de concluir cursos de Comércio e Farmácia, em São Paulo, ele se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1927, o mesmo ano de nascimento de Irineu Filho, que seguiria seus passos na profissão de forma honrosa, do mesmo modo que Irineu Neto, que está há 42 anos na atividade médica. Outros dois netos são médicos e também quatro bisnetos, sendo que outra bisneta é acadêmica de Medicina.

Além de inaugurar o quadro conselhal, o Prof. Antunes também fez parte do seleto grupo dos primeiros 10 médicos homenageados pelo CRM-PR, em 1986, quando da criação do Diploma de Mérito Ético-Profissional, visando alcançar aqueles que tinham completado mais de 50 anos de formados com histórico exemplar. A comenda também seria entregue 17 anos depois, em 2003, a Irineu Filho, realçando com júbilo, no seio da família, os ensinamentos do mestre na formação de médicos éticos, com destaque para a área pediátrica.

clique para ampliarDr. Irineu com filho e neto médicos. (Foto: Arquivo da família.

Era natural de Lages (SC), onde nasceu em 15 de dezembro de 1901. Na cidade catarinense ele atuou profissionalmente a primeira década, cumprindo assim a promessa feita ao pai de ali retornar para auxiliar na formação dos irmãos. Na capital paranaense, onde se estabeleceu em 1938, acabou vivendo por meio século. Faleceu em janeiro de 1988, aos 86 anos de idade, quando estava prestes a ser contemplado com o título de Cidadão Honorário de Curitiba, em reconhecimento à sua história de vida e trabalho. A Câmara Municipal, depois, homenageou-o nomeando logradouro público. Uma rua do bairro Novo Mundo acolhe o nome do eminente médico e professor. Também em sua homenagem, na sede campestre em São José dos Pinhais, a Associação Médica do Paraná criou o “Parque Irineu Antunes”, reverenciando também o seu espírito ambientalista

Sociedade de Pediatria

A contribuição do Prof. Irineu Antunes à formação e ao incentivo do exercício ético da Medicina alcançou gerações, além da própria família. Em março de 1948, em movimento de união em torno da Associação Médica do Paraná, surgiria a “Seção de Pediatria da AMP”, tendo como diretores os Professores Irineu e Waldemar Monastier, que hoje empresta nome ao hospital Infantil de Campo Largo.

clique para ampliarO patriarca, na festa em Lages que reuniu aproximadamente 400 descendentes dos pais. (Foto: Arquivo da família.)

A Sociedade de Pediatria do Paraná havia sido fundada em 1934, sob iniciativa dos pioneiros César Pernetta, Homero de Mello Braga, Julio Moreira, Garcez do Nascimento, Otavio da Silveira, Mario Gomes, Carlos Moreira, Raul Carneiro, Álvaro Pinto, Libanio Cardoso, Heitor Borges de Macedo e Antonio Amarante. A denominação Sociedade Paranaense de Pediatria viria em 1965, tendo assumido a presidência o Dr. Diether Henning Garbers.

Quem foi

Depois dos estudos em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde se graduou em Medicina, o Prof. Irineu Antunes especializou-se em pediatria no Instituto Indianápolis, em São Paulo, e fez a opção por radicou-se em Curitiba após ser aprovado em concurso público da Universidade Federal do Paraná. Nesta instituição, obteve o título de livre docente, em 1943, para reger a cadeira de Clínica Pediátrica Médica e Higiene Infantil. Lecionou por mais de 25 anos, tendo atuado ao lado de outros vultos da especialidade, como Raul Carneiro, César Pernetta e Homero Braga.

clique para ampliarLuiz com o pai e o avô. (Foto: Arquivo da família.)

Por suas aulas passaram vários dos mais conceituados pediatras no nosso Estado. Com o mestre Irineu Antunes eles aprenderam não apenas conhecimentos científicos e sociais avançados para a época, que são temas de debates na atualidade (como as causas do alto índice de mortalidade infantil), mas, acima de tudo, receberam lições de profundo respeito pela vida humana e, em especial, pelas crianças

Como educador, o Dr. Irineu Antunes também se destacou na área de enfermagem. Foi um dos fundadores do Curso de Enfermagem da Cruz Vermelha, Filial do Paraná, onde serviu como conselheiro e membro de várias comissões. Também integrou a Academia Paranaense de Medicina e foi autor de vários trabalhos publicados, incluindo revistas e jornais. Foi colaborador do jornal Gazeta do Povo, onde manteve uma coluna mensal chamada “Cruzada Pró-Infância”, uma forma de orientação e aconselhamento às mães sobre os meandros da puericultura.

clique para ampliarInauguração do bosque na sede campestre da AMP, homenageando o médico. (Foto: Arquivo)

Após aposentar-se na universidade, aos 68 anos, ele continuou colaborando com a profissão. Adepto do cooperativismo, engajou-se na iniciativa privada e prestou serviços como superintendente da Medipar, precursora da Unimed. Consta do Jornal da Unimed, edição de fevereiro/março de 1988: “Além de ter sido um cooperado dedicado, o Professor Antunes integrou a diretoria desta Cooperativa durante duas gestões. Ingressou em março de 1974, ocupando o cargo de gerente médico, que com a mudança dos estatutos em 14 de agosto daquele mesmo ano passou à denominação de superintendente. Em 1978, foi reindicado para o cargo, no qual permaneceu até o término daquela gestão, em 1982.”

clique para ampliarFoto da festa em Lages, que ocorreu poucos dias antes do falecimento. (Foto: Arquivo da família.

O renomado escritor Túlio Vargas, na crônica “Porta-Retrato”, publicada no jornal Gazeta do Povo, em 31 de outubro de 1987, escreveu sobre o mestre: “A constância do seu sacerdócio, a exemplaridade da sua tradição familiar, a competência profissional e o sentido profundamente humano da sua vida, lembra-nos a figura do anjo tutelar que protege e encoraja, mitiga as dores e infunde confiança. Coube-lhe assistir a várias gerações e enriquecer longo período da história da pediatria com o divino privilégio da arte de curar. Chefe de numeroso clã (seis filhos, 24 netos e 25 bisnetos), casado com Helena Andrade Antunes, é um típico patriarca que se orgulha de haver fincado aqui suas raízes e de sentir-se paranaense na sua plenitude, pelo que recebeu da terra adotiva, onde nasceram todos os seus netos e bisnetos..."

Depoimentos de familiares

“Quem o conheceu sabe que ele não passou pela vida por acaso. Seu trabalho e espírito altruísta ficaram como exemplos para as várias gerações de médicos que se seguiram”, referiu-se o neto, o oftalmologista Irineu Antunes Neto (CRM 5199), formado pela UFPR em 1976. Seu pai, o Dr. Irineu Antunes Filho (CRM 167), seguiu a especialidade de pediatria, tendo falecido em 2013, 10 anos depois de distinguido pelo Conselho com o Diploma de Mérito Ético-Profissional na passagem do Jubileu de Ouro. A geração de netos inclui ainda os Drs. Eduardo Caetano Dantas (CRM-PR 6721), formado pela UFPR em 1979, e Sabrina Barreto Antunes (CRM-SE 3803), ambos também pediatras, sendo que o primeiro atua em Curitiba e ela em Aracaju (SE).

Na quarta geração de médicos estão os bisnetos Dr. Daniel Wasilewski (CRM-PR 17.813), formado pela Evangélica em 2000 e que é oftalmologista; Dra. Daniela de Souza Araújo Fernandes (CRM-PR 20.507), formada em 2003 e que é anestesiologista; Dra. Isabella Camargo Antunes (CRM-PR 20.573), formada em 2003 pela PUCPR; e Dr. Marcelo Mocellin (CRM-PR 23.002), também graduado pela PUC, em 2006, e que é otorrinolaringologista. A Dra. Isabela é filha de Luiz Camargo Antunes e o Dr. Marcelo é filho de Stella Regina Antunes Mocellin e do também médico Marcos Mocellin. Outra bisneta, Ana Beatriz, que é filha do Dr. Irineu Neto, está no segundo ano de Medicina (cursa em São Paulo, Capital).

clique para ampliarO médico e esposa (acima) no casamento de Irineu Filho e Marízia, em Londrina. (Foto: Arquivo da família.)

Luiz Antunes realça que o avô era devoto de Nossa Senhora, tendo dado o nome de Aparecida à primeira filha, ainda viva e lúcida. O neto diz ainda que o Dr. Irineu sempre manifestou o desejo de reunir todos os Antunes descendentes de seus pais, o que conseguiu realizar em janeiro de 1988, com a fundamental ajuda do sobrinho Rubens. Aproximadamente 400 descendentes participaram do encontro na região entre Lages e Painel. Ressalta Luiz Antunes: “Foi um fim de semana inesquecível. Uma semana depois, em Caiobá, após o almoço, sentado e arrumando uma cadeira de praia, ele apagou! Viveu exemplarmente e teve um leve retorno para o outro plano, pois, realizado com sua família, com seus amigos, com sua profissão, realizado com essa oportunidade que é a vida, acreditava que o homem, um ser espiritual, vive essa experiência humana para se lapidar.

O histórico da família Antunes remete ao ano de 1745, quando nasceu, nos Açores, Antônio Antunes.

Saiba mais sobre a motivação da série e os vultos da medicina paranaense clicando aqui.

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo.
    * campos obrigatórios

    Comunicar Erro

    Verifique os campos abaixo.

    * campos obrigatórios