10/03/2017

Paraná lança segunda etapa da campanha de vacinação contra a dengue

Médicos tem papel fundamental na conscientização da população e na nova fase da campanha, que também dá segunda chance a quem perdeu a primeira dose

No início de março o governo do Estado iniciou a segunda etapa de vacinação contra a dengue em 30 municípios. As doses estarão disponíveis gratuitamente nas unidades de saúde até o dia 31 de março, conforme programação das prefeituras. A intenção é reforçar o esquema vacinal das 200.004 pessoas já imunizadas na primeira etapa, realizada em agosto/setembro de 2016. Na primeira semana da campanha, 50 mil pessoas foram vacinadas contra a dengue no Paraná.

Confira o portal oficial de combate à Dengue

É importante ressaltar que o público-alvo que perdeu a primeira dose na primeira campanha também terá a última chance de se vacinar agora. De acordo com o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, a vacina é segura e extremamente eficaz, pois protege contra os quatro sorotipos da dengue. As pessoas que fazem parte do público-alvo devem procurar um posto de vacinação mais próximo e garantir sua imunização.

A campanha prevê a aplicação total de três doses. “Trata-se de uma iniciativa pioneira, que já vem dando bons resultados. Estima-se que a vacina conceda uma proteção 93% contra a dengue grave e ainda reduza em 80% o número de internações pela doença”, disse Caputo Neto.

Público-alvo

Nesta segunda etapa, o público-alvo da vacinação será mantido. Em Paranaguá e Assaí, a faixa etária beneficiada é de 9 a 44 anos. Já nos demais 28 municípios, a vacina estará disponível para pessoas com idade entre 15 e 27 anos. Ela é contra-indicada apenas para gestantes, mulheres que amamentam e imunodeprimidos.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde, os 30 municípios contemplados com a vacina concentraram 80% dos casos de dengue registrados em todo o Paraná, de agosto/2015 a julho/2016. No mesmo período, eles também foram responsáveis por 83% dos casos graves e 82% das mortes pela doença.

O diretor-geral da Secretaria da Saúde, Sezifredo Paz, explica que a incorporação da vacina em municípios epidêmicos tem impacto direto na circulação viral em todo o Estado. “Com uma boa cobertura vacinal nestas cidades, será possível proteger indiretamente também aquelas pessoas que não foram imunizadas. Isso acontece porque vamos reduzir a capacidade do mosquito disseminar a doença, tendo em vista um número menor de pessoas susceptíveis”, enfatizou.

Mídia

Neste ano, a mobilização conta ainda com o apoio do médico Dráuzio Varella, referência nacional em saúde pública. A campanha de mídia prevê inserções de TV, rádio, redes sociais e distribuição de materiais impressos. Os paranaenses já vacinados na primeira etapa também estão recebendo mensagens via Whatsapp, SMS, e-mail, chamadas gravadas por telefone e cartas com informações úteis sobre como buscar a segunda dose.

Para a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira, é importante que as pessoas que têm direito à dose busquem um posto de vacinação o mais breve possível. “Apesar de apresentarmos um número bem menor de casos neste início do ano, o calor aliado às recentes chuvas são o cenário ideal para o mosquito da dengue. Por isso, estamos em alerta e a vacina é uma estratégia essencial para o controle da doença”, declarou.

Confira os municípios que fazem parte da campanha: Paranaguá, Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Boa Vista da Aparecida, Tapira, Santa Isabel do Ivaí, Cruzeiro do Sul, Santa Fé, Munhoz de Melo, Marialva, Paiçandu, São Jorge do Ivaí, Maringá, Mandaguari, Sarandi, Iguaraçu, Ibiporã, Jataizinho, Porecatu, Bela Vista do Paraíso, Cambé, Londrina, Sertanópolis, Leópolis, São Sebastião da Amoreira, Itambaracá, Cambará e Maripá.

Fonte: Sesa

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios