Síndrome de luto

João Carlos Simões

Resumo


O objetivo desse artigo de revisão foi o de mostrar as diversas etapas de sinais e sintomas que compõe a síndrome de luto e que são reconhecidos por qualquer pessoa ou paciente quando estão à frente de um diagnóstico de uma doença de prognóstico ameaçador como o câncer ou a eminente perda de um ente querido.   Estas etapas descritas originalmente pela psiquiatra Kubler Ross, em 1969, não são lineares, mas o seu reconhecimento é de fundamental importância para todos os profissionais de saúde que estão constantemente  imersos nos cuidados de diagnóstico e tratamento de  pacientes gravemente enfermos. Em seguida é apresentado um guia prático de como dar más notícias.


Palavras-chave


Atitude Frente a Morte; Assistência Terminal; Tanatologia; Cuidados Paliativos.

Referências


Kübler-Ross E. Sobre a Morte e o Morrer. São Paulo: Martins Fontes; 1969.

Kübler-Ross E. A Roda da Vida. 2ª ed. Rio de Janeiro: Sextante; 1998.

Kovacs MJ. Morte e Desenvolvimento Humano. São Paulo: Casa do Psicólogo; 1992.

Academia Nacional de Cuidados Paliativos. Manual de cuidados paliativos. Rio de Janeiro: Diagraphic; 2009.

Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. Oliveira RA (coord.). Cuidado Paliativo. São Paulo: CREMESP; 2008.

Figueiredo MTA. A dor no doente fora de recursos de cura e seu controle por equipe multidisciplinar: Cuidados Paliativos. Âmbito Hospitalar. 1996;89(8):63-7.

Baile WF, Buckman R, Lenzi R, Glober G, Beale EA, Kudelka AP. SPIKES–A six-step protocol for delivering bad news: application to the patient with cancer. Oncologist. 2000;5(4):302-11.

Instituto Nacional de Câncer (Brasil). Comunicação de notícias difíceis: compartilhando desafios na atenção à saúde [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2008. [acesso nov. 2013]. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/comunicando_noticias_dificeis.pdf.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.