Gemelares Teratópagos Dicéfalos: relato de caso

Marcos Antônio da Silva Cristovam, Adriana Chassot Bresolin, Fábio Negretti, Carlos Alberto Kenji Nakashima, Ana Paula Cavalari Faller, Caroline Almeida

Resumo


Gemelares teratópagos são muito raros e o diagnóstico precoce através da ultrassonografia obstétrica pode facilitar o seguimento gestacional e o trabalho parto. A maioria dos gêmeos conjugados são natimortos ou morrem pouco tempo após o nascimento. Apresentamos um caso de gemelares teratópagos, de 34 semanas, com várias anomalias estruturais, discutindo suas características externas e os achados anatomopatológicos à necropsia.


Palavras-chave


Gemelares; Gêmeos unidos; Teratópagos; Dicéfalos

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.