20/12/2019

Retrospectiva 2019: Mobilização em defesa da ética e da valorização da Medicina

Atuação do Conselho envolve aproximação com os Três Poderes, outros Conselhos Profissionais e centros formadores. Também merecem destaque educação continuada, conscientização sobre segurança e saúde emocional dos médicos e fiscalização dos serviços de saúde

clique para ampliarclique para ampliarAno foi marcado pela mobilização em defesa do exercício ético da Medicina (Imagens: CRM-PR)
A mobilização em defesa do exercício ético da Medicina foi o grande destaque na retrospectiva do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) no ano de 2019. Em um período de muitas mudanças no cenário político e econômico, o Conselho promoveu a defesa da saúde pública e da classe médica por meio de diversas frentes de atuação.

O CRM-PR também já tem estabelecidas as suas metas prioritárias para 2020, reunidas na Carta de Curitiba, divulgada no início de dezembro após encontro de conselheiros e diretores das Delegacias Regionais. São 16 itens (leia aqui) a serem perseguidos ao longo do novo ano, que incluem qualidade na formação médica, revalidação obrigatória de diplomas obtidos no exterior, defesa do ato médico e de carreira médica no serviço público.

No campo da representatividade, a classe médica voltou a ocupar posições de destaque em cargos estratégicos no Executivo federal e estadual. Logo no início do ano, o médico ortopedista natural de Mato Grosso do Sul, Luiz Henrique Mandetta, foi nomeado Ministro da Saúde, estruturando uma equipe de secretários majoritariamente formada por médicos. No Paraná, o médico e ex-prefeito de Apucarana, Carlos Alberto Gebrim Preto, o Beto Preto, foi indicado pelo governador Ratinho Júnior para o cargo de Secretário Estadual da Saúde. Ao londo do ano, aliás, o governador reiterou os compromissos assumidos com a classe médica ainda no período eleitoral, quando esteve na sede do CRM-PR.

clique para ampliarclique para ampliarPrograma Médicos Pelo Brasil foi sancionado pelo Presidente da República no dia 18 de dezembro (Foto: Marcos Corrêa / PR)
Além do constante diálogo com as pastas da Saúde Estadual e Municipais, o CRM-PR atuou fortemente na aproximação institucional com os três Poderes. O objetivo foi sensibilizar os agentes públicos quanto às principais questões envolvendo a classe médica e a saúde pública. Os esforços também foram no sentido de apresentar e reforçar o posicionamento do Conselho em relação a temas como a segurança do médico, a saúde emocional desses profissionais e a formação médica de qualidade.

E o ano de 2019 termina com a sanção pelo Presidente Jair Bolsonaro da lei nº 6.176/2019, que cria o Programa Médicos pelo Brasil, permitindo a contratação de 18 mil médicos e a criação de uma carreira pública para esses profissionais. O presidente acolheu o apelo da classe médica brasileira e vetou a possibilidade de se realizar o processo de revalidação de diplomas médicos obtidos no exterior por faculdades privadas (leia aqui).

clique para ampliarclique para ampliarConselho atuou na defesa da Medicina por meio de diversas frentes ao longo do ano (Foto: CRM-PR)
Ao fazer análise do desempenho do CRM-PR ao longo de 2019, o presidente Roberto Issamu Yosida diz que os relatórios das atividades atestam o grau de comprometimento com os objetivos assumidos. "São 15 meses da atual gestão, sendo que neste exercício alcançamos marcas expressivas, que ajudam o Paraná a manter seu status de destaque entre os singulares. São expressivas as estatísticas de fiscalizações, de participantes em atividades de educação médica e em agilidade nos procedimentos da Corregedoria. Ampliamos a interlocuçã